Todas as memórias surgem do tédio

Ele pegou o quadro famoso, quebrou a moldura e esticou o papel na mesa. Ela observou com apreensão enquanto ele rasgava uma grande parte e começava a cortar a obra, pedacinho por pedacinho. Do outro lado, ela também rasgou a outra metade enquanto picotava tudo com as mãos. Passaram um bom tempo se divertindo enquanto despedaçavam a obra de arte.

Quando acharam que já estava bom, eles embaralharam todos os pedaços na mesa e investiram as horas restantes da noite para recriar a pintura construindo o todo com cola e uma moldura nova.

Anos depois eles se lembrariam mais daquela noite do que de quando tinham comprado o quadro.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s